16.11.2015 | Evento de mobilização contra a violência à mulher

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação, através do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), realizou no dia 11 de novembro um evento de mobilização contra a violência à mulher.

 

O evento, que é alusivo ao Dia Internacional da Não-violência contra a Mulher no dia 25 de novembro, aconteceu no Centro Social de Múltiplo Uso Olinto Cassol, onde às mulheres presentes ouviram uma palestra da escritora douradense Odila Lange sobre a Violência contra a mulher. Na ocasião também foram oferecidos diversos serviços às mulheres como manicure, corte de cabelo, sobrancelha e maquiagem.

 

Segundo a Secretária de Assistência Social, Vera Bilibio, o intuito do evento é alertar a população sobre a violência contra a mulher, “temos que abrir os olhos da população em geral para os casos de violência que acometem as mulheres todos os dias no nosso país, sobretudo as próprias mulheres, que muitas vezes sofrem violência caladas, procuramos acolher as mulheres de nosso município, apresentando os serviços disponíveis em Laguna Carapã”, salientou Vera.

 

A Coordenadora do CREAS de Laguna Carapã, Sirlene Heicheberg explicou que denunciar a violência contra a mulher ajuda a combater o problema, “Quando a mulher denuncia, ela explícita a violência sofrida e, ao mesmo tempo, dá condições dessa mulher ter acesso a todos os serviços, nesse sentido o Creas está disponível para que essas mulheres sejam acolhidas”, Sirlene também agradeceu às voluntárias que participaram do evento, “quero agradecer às voluntárias que ofereceram os serviços de beleza às mulheres, Cleci, Angelita, Raquel e Lene, também a toda a equipe do Creas e da Secretaria de Assistência Social pela organização do evento, e a todas as pessoas que contribuíram para que esse dia acontecesse”, finalizou.

 

O prefeito Itamar Bilibio parabenizou toda a equipe da Secretaria de Assistência Social pela organização do evento, “precisamos nos unir para combater qualquer tipo de violência, a mobilização é o primeiro passo para acabar com a violência, pois quem sofre a violência precisa saber que está amparada para sair dessa situação”, salientou o prefeito.

 

História
A data de 25 de novembro de 1960 ficou conhecida mundialmente por conta do maior ato de violência cometida contra mulheres. As irmãs Dominicanas Pátria, Minerva, e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas”, que lutavam por soluções para problemas sociais de seu país foram perseguidas, diversas vezes presas até serem brutalmente assassinadas.

 
A partir daí, 25 de novembro passa a ser uma data de grande importância, principalmente para aquelas que sofrem ou já sofreram violência. 25 de novembro como o “Dia da Não Violência Contra a Mulher”, foi decidido por organizações de mulheres de todo o mundo reunidas em Bogotá, na Colômbia, em 1981 em homenagem as irmãs, que responderam com sua dignidade à violência, não somente contra a mulher, mas contra todo um povo. Em 1999, a Assembléia Geral da ONU proclama essa data como o ”Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher” a fim de estimular que governos e sociedade civil organizada, nacionais e internacionais realizem eventos anuais como necessidade de extinguir com a violência que destrói a vida de mulheres considerado um dos grandes desafios na área dos direitos humanos.